Falta de Memória

12 de fevereiro de 2016

Pessoas na meia-idade ou mais velhas, pelo simples fato de esquecerem suas chaves ou um compromisso, ficam alarmadas, pois levantam a possibilidade de Alzheimer.

No entanto, o Alzheimer não é o único responsável pelo esquecimento. A perda de memória pode ocorrer em qualquer idade e por uma série de razões.

É importante consultar um médico, pois ele poderá explorar e estudar cada sintoma para descobrir o que realmente está acontecendo com a função cerebral, que tem capacidade de aprender e armazenar informações, mas por causa de seus recursos mentais sobrecarregados, talvez não estejam trabalhando corretamente.

Abaixo, alguns fatores que podem desencadear a falta de memória:

  1. Apneia do Sono

Este comum, mas tratável distúrbio do sono faz a respiração parar brevemente e com frequência durante toda a noite. Você pode ter apneia do sono se você frequentemente acorda com dor de cabeça ou se sente fadiga durante o dia – ou ainda se o seu parceiro se queixa de ronco alto.

Quando não tratada, a apneia do sono afeta a memória de navegação espacial, segundo um estudo publicado no The Journal of Neuroscience. Este tipo de memória inclui a capacidade de se lembrar de direções ou de onde você colocou suas coisas, como suas chaves, por exemplo.

Uma explicação é que para as pessoas com apneia do sono, o fornecimento de oxigênio para o cérebro é interrompido várias centenas de vezes durante a noite, pois o cérebro força a pessoa a acordar. A pesquisa sugere que o sono profundo, também conhecido como sono movimento rápido dos olhos (REM), desempenha um papel importante na memória.

  1. AVC silencioso

Mudanças evidentes na capacidade de pensar e se mover normalmente podem ser consequências de cursos que bloqueiam os vasos sanguíneos do cérebro. Problemas de memória leve também podem se desenvolver gradualmente após acidentes vasculares cerebrais silenciosos que afetam os vasos sanguíneos menores. Essas mudanças na função cerebral, que podem variar de leve a grave, são chamadas de comprometimento cognitivo vascular.

O cérebro é especialmente vulnerável ao fluxo sanguíneo bloqueado ou reduzido privando-o de oxigênio e nutrientes essenciais. Pessoas com perda de memória têm risco mais elevado de sofrer um derrame. E o esquecimento pode ser um sinal de alerta precoce de acidente vascular cerebral, segundo um estudo publicado na revista Stroke.

  1. Medicamentos

A perda de memória pode ser um sinal de que a sua medicação precisa ser ajustada. Vários tipos de drogas podem afetar a memória, de acordo com o Food and Drug Administration (FDA), incluindo:

  • pílulas para dormir
  • anti-histamínicos
  • medicamentos para diminuir a ansiedade
  • antidepressivos
  • alguns analgésicos
  • medicamentos para baixar o colesterol
  • medicamentos para diabetes

É importante conversar com seu médico para descobrir se a falta de memória é uma consequência do medicamento.

  1. Deficiência nutricional

A falta de vitamina B12, uma das vitaminas essenciais para a função normal do nervo cerebral, pode levar à confusão mental. Lácteos, carne e peixe, e até alimentos processados com vitamina B12, como cereais fortificados, podem auxiliar na ingestão da quantidade necessária diária da vitamina.

  1. Estresse, ansiedade e depressão

Estresse significativo ou ansiedade podem levar a problemas de atenção e memória. Isto é, particularmente, comum entre as pessoas que podem cuidar da casa e ter ainda muita responsabilidade no trabalho, por exemplo, e não estão dormindo bem. Normalmente, aliviar o stress pode melhorar a memória.

 

Converse com seu médico sobre as preocupações que você possa ter sobre a sua memória para que, assim, a condição responsável por seus sintomas possam ser tratados. Discutir seus sintomas e realizar os exames solicitados, podem ajudar o médico a determinar o que está afetando sua memória.

Fonte: Mayo Clinic

Publicado em Blog
×

Olá!

Clique abaixo para falar com um de nossos representantes.

× Agende seu Exame via WhatsApp!